URGENTE: PGR Augusto Aras arquiva pedido de afastamento de Bolsonaro

O procurador geral da República, Augusto Aras, arquivou a notícia-crime que pedia o afastamento do presidente Bolsonaro, enviado pelo ministro do STF, Marco Aurélio Mello.O presidente da República, Jair Bolsonaro, fez hoje o que pode ser considerado o melhor discurso de um presidente da história desse país.
Bolsonaro entrou em rede nacional na noite desta terça (31) e chamou para si a responsabilidade sobre o combate ao coronavirus e ao aumento do desemprego no país como consequência do isolamento que está sendo imposto por governadores por conta da pandemia.

No pronunciamento, o presidente ressaltou a importância de saber equilibrar um isolamento social maneirado, de forma que não afete drasticamente a economia do país e, consequentemente faça com que os resultados dessa catástrofe econômica sejam ainda piores do que os causados pelo vírus COVID-19.

"Juntos, com coragem, serenidade e patriotismo, venceremos a batalha contra essa epidemia e seus efeitos! Lutaremos com todas as nossas forças para proteger a nossa nação! NENHUM BRASILEIRO FICARÁ PARA TRÁS!" Disse o presidente.
Para Aras, não há embasamento jurídico que endosse de forma alguma a notícia-crime e o pedido de afastamento ou até mesmo uma possível perda de mandato do presidente Jair Bolsonaro.

Entenda o caso:

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu à Procuradoria-Geral da República (PGR) que analisasse uma notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro.

Trata-se de um instrumento usado para alertar uma autoridade - a polícia ou o Ministério Público - a respeito da ocorrência de um ilícito.

A petição foi feita pelo deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG). Ele pede que o Ministério Público acuse o presidente da República de colocar em risco a saúde dos brasileiros em seu pronunciamento da semana passada sobre a pandemia de coronavírus.